TRANSAMAZONICA

 

Na década de 1970, com o objetivo de “conquistar” a Amazônia e integrá-la ao resto do país, os militares planejaram uma obra monumental, a Rodovia Transamazônica ou BR-230. Tudo foi decidido rapidamente, depois que o então presidente, o general Emílio Garrastazu Médici, em visita ao Recife, em junho de 1970, se deparou com uma das piores secas da região. “Ele fez um discurso que considero como a ‘certidão de nascimento’ da rodovia, no qual prometeu ‘terras sem homens para homens sem terra’. Com a construção da Transamazônica, o general-presidente apontava uma mudança no regime, pois passaria a investir grandes recursos em obras de infraestrutura e propaganda”, destaca César Martins de Souza, historiador e professor da Universidade Federal do Pará (UFPA). Entre os fatores geopolíticos que motivaram a construção da rodovia há que se destacar a preocupação das Forças Armadas com a segurança nacional.

A Transamazônica, inaugurada em 27 de agosto de 1972, foi projetada para ter oito mil quilômetros, ligando as regiões Norte e Nordeste do Brasil com Peru e Equador. Mas, na verdade, está inacabada até hoje: foram construídos apenas 4.223 km, ligando a cidade de Cabedelo, Paraíba, à Lábrea, no Amazonas, passando por sete estados brasileiros: Paraíba, Ceará, Piauí, Maranhão, Tocantins, Pará e Amazonas.

Br-230mapa

Milhares de Famílias vivem as margens da Transamazônica, muitas das vezes confundidos com índios pelos povos do sul e sudeste providos de uma ignorância flagrancial de sua falta de conhecimento sobre o povo trabalhador que na Amazônia vive. A pavimentação de tal rodovia é de fundamental importância e indispensável a estas famílias e ao país, sendo esta região de riquezas incalculáveis, o que é suficiente para refutar todo e qualquer discurso contrário, sem conhecimento presencial da realidade dos povos que na Amazônia habita (inclusive às margens da Transamazônica), seres humanos que merecem respeito e precisam sim de políticas públicas eficazes que condicionem a melhoria da qualidade de vida.

O texto é parte de uma publicação da revista PRE.UNIVESP.BR e é uma producao textual de PATRICIA PIACENTINI em 13/01/2016, pode ser lido na íntegra é encontrado no endereço eletronico http://pre.univesp.br/edicoes

Publicado por Marciano José Zanella

44 anos, Casado, 3 filhos, domiciliado em Jacareacanga no Estado do Pará, Formado em Educação Física pela Universidade de Passo Fundo - UPF, Professor de Escola Municipal e Diretor de Escola Estadual.

Um comentário em “TRANSAMAZONICA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog QAP Osvaldo Matos

Publicitário, desde 1988, Sociólogo, especialista em segurança, defesa e pós graduado em Comércio Exterior. Diretor Presidente da Bm4, Editor Geral da Revista Qap em Alerta e Presidente do Instituto Pernambucano de Segurança-Frei Caneca

Maryworks

Garimpando a Internet

cleberzanella

The greatest WordPress.com site in all the land!

RASTILHO DE PÓLVORA

Jacareacanga - Pará - Brasil

Junior Ribeiro - Itaituba/PA

Jacareacanga - Pará - Brasil

WordPress.com em Português (Brasil)

As últimas notícias do WordPress.com e da comunidade WordPress

zanellablog.com

Jacareacanga - Pará - Brasil

%d blogueiros gostam disto: