NEM UM, NEM OUTRO.

Tenho visto muitas pessoas, nas redes sociais, utilizando-se da frase: Não apoio nem um e nem o outro, referindo-se à Bolsonaro e Lula para as eleições presidenciais de 2022.

É importante ressaltar que em se tratando de liberdade de expressão, e liberdade de escolha, as pessoas têm todo o direito de tomar esse caminho. Assim como, me dá o direito de discorrer a respeito de tal escolha. Enquanto ainda podemos!

Não foi apenas uma vez que se viu candidato A ou B, comemorarem o fato de não haver candidatos de direita concorrendo nas eleições presidenciais. Ou seja, sempre, todos eram de esquerda.

Nas últimas eleições, pela primeira vez tivemos um candidato que não se alinhava com as pautas da esquerda. Que por sinal, defendia as mesmas coisas que a grande maioria da população defende. Falava aquilo que muitos sonhavam em dizer. Enfim, apareceu alguém de Direita.

Mas afinal, o que representa ser de Direita ou de esquerda?

Direita = Conservador nos costumes: ética e valores morais são negociáveis; defende a liberdade de expressão, a liberdade de ir e vir, defende o direito de se auto-defender (porte de armas), defende o direito à vida desde a concepção, defende garantias no direito à propriedade; na economia, defende a livre iniciativa, o livre comércio através de uma economia liberal; máquina estatal enxuta, pouca burocracia, mínimo necessário de impostos.

Esquerda = valores morais viram tabus que precisam ser quebrados; ética só na aparência, é pauta apenas para discurso; defendem regulamentações a respeito das liberdades todas embora afirmam em público que as defendem (apoiam regulamentação das midias, apoiam invasões de propriedade, apoiam passaporte sanitario=controle de ir e vir; apoiam o aborto, apoiam a liberação da maconha, apoiam o desarmamento deixando o individo sem capacidade de se defender, inclusive do próprio governo); Na economia são: anti-capitalistas apesar de dizerem defender o empreendedorismo; defendem regulamentações de preço e concorrência, situações que tendem a gerar fechamentos de empresas, empregos e aumento de inflação; Defendem o controle estatal global, que demanda por mais funcionalismo público, que gera um estado robusto e inflado, e que para sustentar, precisa aumentar generosamente os impostos para suprir as demandas dos cofres públicos.

Estabelecidas as diferenças básicas, é necessário dizer que: todos nós temos duas opções apenas: Direita ou Esquerda. Gostando ou não.

As pessoas precisam o mais rápido possível, começar a entender de uma vez por todas o que os partidos e as pessoas que os compõem defendem, para então tomar as suas decisões demovidas de paixões partidárias ou pessoais.

Por mais de uma vez nas minhas redes sociais, me declarei não ser Bolsonarista. Apenas apoio quem pensa e age de acordo com aquilo que eu acredito ser correto. Vai acertar sempre? Claro que não!!! Quem nunca errou que atire a primeira pedra! Mas é possível avaliar as práticas de um e de outro e perceber as discrepâncias com relação à valorizar a ética, à valorizar as questões morais, à valorizar as liberdades individuais, quem buscou aumentar ou diminuir a máquina estatal, quem tentou dificultar ou facilitar a vida de quem empreende e gera empregos, etc…

A nossa escolha hoje se resume em: PERMANECER LIVRES (só há uma opção de Direita) ou escolher o SOCIALISMO/CONTROLE (os demais [A, B ou C], todos são de esquerda e terão os mesmos aliados, bem como, o mesmo modus operandis)

E, para aqueles que pensam que isso é besteira ou coisa de fanático, é bom que saibam, tais decisões que tomamos hoje, interferem diretamente na vida de cada um de nós e de nossos filhos e netos.

Que Brasil você quer deixar aos seus?!?!