UFFA!!! CONSEGUIMOS!!!

          Todo e qualquer ser humano que quer dar sentido e finalidade a sua vida, deve buscar algo a mais do que o trivial: trabalho, família e lazer.

        E o que seria esse algo a mais? Para mim, esse algo a mais é o envolvimento na sociedade, em qualquer seguimento.

       No meu caso, sempre me envolvi em várias entidades sociais e religiosas. E em 2011, nem tanto por vontade própria, mas me vi com a responsabilidade de coordenador da comunidade católica de Santo Antônio em Jacareacanga.

           Uma Igreja que teve início na década de 50 no século passado, em uma localidade que já foi base de revolução contra o governo de Jucelino Kubitschek, e que foi emancipado município em 13 de dezembro de 1992.

         Apesar de ter tido Padres na cidade por um bom tempo, quando assumi a coordenação, a comunidade contava com assistência sacerdotal vez ou outra. Procuramos o Bispo da Prelazia de Itaituba, Dom Vilmar Santin O.Carm. e conversamos a respeito de conseguir padres pra Jacareacanga e sobre a possibilidade de criação de uma paróquia.

           A partir disso muitas esforços foram feitos neste sentido por muitos, principalmente Por Dom Vilmar. E finalmente, em junho de 2015, com a chegada em definitivo dos Freis da Ordem dos Carmelitas Descalços da Província de Porto Alegre, e a presença de nosso Bispo, a Paróquia Santo Antônio e São Pedro de Jacareacanga foi oficilmente instituída.

         Hoje, ao ver as coisas andando, mesmo sem fazer parte do CPP e CAEP, me sinto feliz, realizado, com sentimento de dever cumprido… tudo valeu a pena!!!!!

              Mas ao contrário do que possa parecer, a missão não está concluída. Agora mesmo que a Igreja precisa não só de mim, mas de muitos outros que possam se engajar para o êxito real do trabalho que foi feito até agora.

O NASCIMENTO DE UMA CULTURA

                  Cultura, definição genérica segundo Edward B. Tylor, é “todo aquele complexo que inclui o conhecimento, as crenças, a arte, a moral, a lei, os costumes e todos os outros hábitos e capacidades adquiridos pelo homem como membro da sociedade“. Wikpédia

                    Para que algo seja considerado Cultural, é necessário que seja tradicional, conhecido, vivenciado há algum tempo. Ou então ser composto por fatores com essas características.

                    Na região norte brasileira, os causos, as lendas, o imaginário popular é descrito por agremiações, tribos, grupos ou outras denominações, em disputas utilizando-se animais para dar nome a essas agremiações.

                    Alguns grupos bem conhecidos como os Bois Garantido e Caprichoso em Parintins no Amazonas; os Botos Cor de Rosa e Tucuxi em Alter do Chão, Santarém – Pará. Outros nem tão conhecidos nacionalmente, como os Peixes Aracu e Piau em Barreiras, Itaituba – Pará entre outros.

                      Recentemente, no dia 13 de dezembro de 2015, nasceu uma nova cultura. Foram apresentados dois novos grupos rivais, no município de Jacareacanga – Pará, que deverão competir visando a melhor forma de apresentar os elementos culturais do imaginário popular como: Pagé, Cunhaporanga, Cobra Grande, Porta Estandarte, Índia Guerreira, Rainha do Carimbó, entre outros. Itens que avaliados individualmente por uma banca julgadora e pelo conjunto da obra, definem a vitória ou não dessas agremiações

                    Esses grupos são representados por animais que dão nome ao município, os Jacarés, denominados Jacarés Encantados com os nomes de Jacaré-tinga e Jacaré-açú. O Tinga, nas cores verde e amarelo e o Açu nas cores verde e cinza.

                 Neste, ainda não houve disputa entre o Tinga e o Açú, apenas foram apresentados, para que cada um possa tomar partido, e os interessados, contribuir na disputa do próximo ano. Para essa disputa, ainda não há uma data estabelecida. Duas datas se apresentam como fortes opções para esta festividade. Nas comemorações do aniversário da cidade que vai de 10 a 13 de dezembro. E outra possibilidade é durante a realização do Jacaré-verão, evento tradicional realizado na praia às margens do Rio Tapajós, próximo à cidade, em setembro, de quinta-feira a domingo, no final de semana de lua cheia.

                     O fato de contar com um evento anual dessa magnitude, pode colocar Jacareacanga de vez no calendário de eventos culturais da Região e do Estado, e quem sabe um dia até mesmo no calendário de eventos nacional, assim como os Bois de parintins já fazem ao ser transmitido por canal aberto de TV para todo país.

                       Jacareacanga tem sido o destino de um número considerável de visitantes, turistas, de muitas localidades, principalmente da região norte, pela capacidade organizacional local e os investimentos na promoção desses eventos. A realização da Festividade dos Jacarés Encantados, permitirá um aumento significativo neste fluxo de pessoas, que com certeza aumentará as oportunidades no campo econômico, de serviços, comércio e na divulgação turística do município.

HUMILHAÇÃO

      Em Jacareacanga, vive-se atualmente uma situação de humilhação muito grande quando se trata de usufruir de serviços bancários.

          Há muito, os servidores públicos municipais recebiam seu soldo em cédulas, dinheiro vivo. Era um pouco tumultuado, fila grande, mas cada um recebia seu salário integralmente em cache.

           Depois de algum tempo, os funcionários foram informados que receberiam seu salário em banco.

      E, meus amigos, pasmem. Jacareacanga não possui uma Agência Bancária. Por incrível que pareça, várias instituições financeiras vieram até o município: BASA (Banco da Amazônia), Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica, Sicredi.

        Todos fazem uma propaganda muito grande de sua instituição, deixam as pessoas empolgadas e logo em seguida lançam o balde de água fria, ao falar da logística, das dificuldades, e no final, se chega a mesma conclusão. Eles não vem!

       Tudo o que temos, é o atendimento da Caixa Econômica, no início através de ponto de atendimento, e hoje através de uma Lotérica. Além do Bradesco que disponibilizou dois locais de atendimento em pontos comerciais, que somente efetuam pagamentos de salário, com o próprio giro financeiro, e dois caixas eletrônicos que ficam mais tempo em manutenção  e / ou com saque indisponível, e é neste banco que é depositado o salário dos funcionários públicos municipais.

         É aí que nos deparamos com a situação de ter o dinheiro na conta e não ser possível executar um saque. Não podemos afirmar categoricamente, mas ao que parece, a dificuldade se dá diante do descaso e da falta de programação por parte da instituição financeira em questão. Afinal, se sabe que o salário estará na conta dos servidores, porque não se organiza pra que não falte nos caixas eletrônicos.

     Enquanto isso os servidores vão e vem com sentimento de humilhação por não poder sequer usufruir do fruto de sua labuta mensal.

      Até quando? Até quando teremos que conviver sem uma agência bancária em nossa cidade? O que falta pra que venham?

          Quem aqui convive constata que a movimentação comporta pelo menos uma instituição financeira e diante dos investimentos futuros a curto e a longo prazo, a movimentação tende a aumentar, e muito. Só nos resta aguardar e torcer para que esse dia chegue.